1978-1981-1983-1985-1987-1991-1993-1995-1997-1999-2000-2001-2002-2003-2004-2005-2006-2007-2008-2009-2010-2011-2012-2013-2014-2015-2016-2017-2018-2019


Festas da Praia da Vitória 2004

Presidente da Câmara – José Fernando Gomes

Presidente da Comissão – José Carlos Ortiz

José Fernando Gomes foi Presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória em 1993, cargo que ocupou até 2005.
Dois anos antes, em 1991, Carlos Lima, seu antecessor, tinha dado o mote para a realização das Festas em data própria, Agosto, na sequência da ruptura com Angra do Heroísmo, na realização alternada das Sanjoaninas, o que ocorreu em 1987.
A partir de 1991 a Praia da Vitória passou a ter, até hoje, as suas próprias Festas.
Quando chegou à Câmara em 2003, José Fernando Gomes, teve de encontrar um modelo de Festa que, diz no depoimento abaixo, se mantém até hoje.
Por um lado criando um calendário anual para a realização das festas e colocando todo o cuidado na divulgação das mesmas, especialmente, junto da Diáspora nos Estados Unidos e Canadá.
O Autarca, que se manteve à frente dos destinos da Câmara até 2005, procurou, com a sua equipa, novas propostas das quais se destacam a Feira de Gastronomia e a aquisição, mais tarde, de uma tenda para a realização dos espectáculos musicais.
José Fernando Gomes, neste mesmo depoimento, afirma que é chegada a altura de inovar e apresentar um modelo novo e “refrescado” das festas praienses.
Um depoimento que pode ouvir na íntegra aqui abaixo.


Presidente da Comissão das Festas – José Carlos Ortiz

José Carlos Ortiz Já tinha o pressentimento que seria convidado para Presidente da Comissão das Festas da Praia em 2004. Isto porque naquela altura era uso nomear Presidente das Festas seguintes o Vice-presidente das festas anteriores, que tinha sido o caso.
Por aqueles dias muitos praienses interrogavam-se acerca das razões do feriado municipal ter lugar a 11 de Agosto. Estas dúvidas despertaram no Presidente da Comissão o mote para as festas de 2004: A Batalha de 11 de Agosto tendo sido esse o tema escolhido para o cortejo de abertura.
A batalha da Praia foi um combate naval ocorrido no dia 11 de agosto de 1829, na baía da então Vila da Praia, em que forças Miguelistas intentaram um desembarque naquele trecho do litoral da Ilha Terceira, nos Açores. A derrota dos absolutistas neste recontro foi decisiva para a afirmação e posterior vitória das ideias liberais em Portugal.
Depois de nomeado e de constituída a sua equipa os contactos entre todos faziam-se semanalmente, isto até Novembro, tendo em vista a elaboração do esquema do programa.
Neste ano a Festa teve treze dias para poderem incluir o feriado do 11 de Agosto o que a transformou, até àquele, ano nas maiores, em número de dias, até então realizadas.
No que toca ao programa musical foi intenção da equipa que pudesse abranger o maior número de públicos.
4 Palcos foram o cenário escolhido para a atuação de todos os grupos musicais.
Recorda que, nesse ano, vieram do estrangeiro os “Moody Blues” e o Ney Matogrosso.
O cartaz musical completou-se com Paco Bandeira, Alexandra, e uma atuação dos “Malucos do Riso”.
Recorda ainda a colaboração do mundo empresarial da Praia da Vitória, quer através de publicidade, quer de donativos.
Alguns dos traços essenciais de um depoimento que pode ouvir na íntegra aqui em baixo.

 
Marcha Oficial das Festas da Praia – 2004

 

 

Carlos Parreira - Coordenador da Feira de Gastronomia

Quando teve a ideia de colocar de pé a Feira da Gastronomia, Carlos Parreira, quis desde logo assegurar padrões de qualidade e que a mesma fosse genuína, isto é, com produtos certificados, coisa que ele próprio supervisionava no transitário aquando do embarque dos mesmos.
Recorda que ao princípio não foi fácil convencer os restaurantes nacionais a aderirem ao projecto porque os mesmos consideravam que não havia público suficiente.
Depois do sucesso da primeira feira deu-se justamente o contrário, ou seja passou a coordenação da feira a selecionar os que viriam tanta era a procura.
Carlos Parreira recorda, em particular, o reconhecimento da qualidade da feira gastronómica por parte dos galegos que vinham participar na mesma.
Considera que hoje o modelo de feira das festas está esgotado e apela para que se aproveite o interregno de 2020 para que seja possível recolocá-la no “caminho certo”.
Um interessante depoimento que pode ver, na íntegra, aqui em baixo.

 

1978-1981-1983-1985-1987-1991-1993-1995-1997-1999-2000-2001-2002-2003-2004-2005-2006-2007-2008-2009-2010-2011-2012-2013-2014-2015-2016-2017-2018-2019